Notícias do Fim do Mundo


Se você busca no Google a frase fim do mundo o buscador lhe devolverá quase 800.000.000 de resultados. Se colocar fin del mundo, em espanhol, esse número vai para 1.300.000.000, aproximadamente. E se você escreve em inglês end of the world aí então receberá uma catarata de respostas: mais de 8.000.000.000. Os dados sinalizam para um evidente e crescente interesse no assunto. Mas tem um detalhe: isso que acontece na web não tem um reflexo na interação das pessoas no corriqueiro da vida. Muito pelo contrário o tema parece um tabu. E por quê?

A resposta mais obvia é medo. Quando alguém menciona a frase fim do mundo tudo aquilo que levamos na memória, no subconsciente, ao respeito, dispara um flash em  nossas cabeças projetando um evento catastrófico, horroroso, numa data fatal. O cinema tem alimentado isso com filmes como Destruição final; Tempestade, planeta Terra; 2012, entre outros. Aí então, a gente não quer nem saber. E, apreensiva, desconversa logo.

Claro que todo e qualquer evento pode se apresentar repentinamente, incluso o mais desastroso. Afinal, como escreveu João Guimarães Rosa, "tudo o que muda a vida vem quieto no escuro, sem preparos de avisar". Nós somos apenas um ponto no espaço, dependente de infinitas sincronias fora de nosso controle, até de nossa compreensão. Tudo bem. Mas devemos ficar sabendo que não existe algo assim como uma data derradeira, um dia do juízo final, muito menos um castigo preconcebido e global. Não devemos ter medo.

Existem, sim, datas que atuam como marcadores, tipo o primeiro de janeiro, quando começa um novo ano. Esse dia não é muito diferente ao 31 de dezembro de umas horas antes, porém marca o início de um novo ciclo. É o que acontece, por exemplo, com o 22 de dezembro de 2012, o instante em que, segundo diversas profecias, se encerrou um tempo velho, o chamado fim dos tempos,  e começou um tempo novo, que reconheceria um tempo intermédio de transição entre aquilo que já não será mais e aquilo que virá a se desenvolver como novas formas de vida.

Essa transição é um processo que já estamos experimentando. É uma coisa quase que óbvia. Contradições, confusões, atos horrorosos, ações sublimes, decadências irrefreáveis, descobertas maravilhosas se sucedem no dia a dia de um mundo cada vez mais com cara de bipolar.

Por quanto tempo se estenderá esse tempo? Quem sabe? Serão 10 anos, 20, 30, 100?  Dependerá do cruzamento de muitos dados de nosso planeta e de fora do planeta. Também dependerá de nós, de nosso comportamento, do modo como processaremos e viveremos o tempo novo. Porém, que A Grande Mudança acontecerá  é algo irreversível.

Se você para um pouco para observar e refletir, perceberá que o tal fim do mundo já começou a verificar-se no fim de muita coisa tal como existiu até aqui, tal como a gente as conheceu. Costumes, conceitos, atividades, crenças, culturas, climas, tecnologias hoje têm outra cara. Atuando também como um marcador, a pandemia do coronavírus deixou uma evidência irrefutável no rasto dos mais de 600 milhões de infectados e mais de 6 milhões de mortos. Depois dessa peste nada mais será igual. O impacto do fenômeno alcançou todos os planos da vida humana, do massivo ao pessoal, da sobrevivência ao afetivo, da economía ao espiritual. Ameaçando-nos com a morte o vírus veio a nos interpelar pelo sentido da vida.

Mais cedo que tarde, tudo o que foi forma e conteúdo da vida humana até hoje terá, irremissivelmente, seu fim. Algumas coisas, simplesmente, sumirão por sempre (espécies, culturas, objetos, etc...); outras se verão recicladas em significados novos, com outras formas e outro espírito. Do trabalho às artes; dos esportes às ciências; da religião à economia, tudo irá se transformando bem mais rápido do imaginável.

Não se trata de uma mera crise conjuntural, estamos imersos na crise terminal de nossa civilização. Como toda crise, ela gera novas oportunidades. No plano pessoal não será de outro modo. O caráter terminal da crise será o espírito do que foi dado em se chamar o juízo final. Um juízo, uma avaliação que cada um de nós terá de fazer de si mesmo. Ganhando assim a oportunidade de valorizar nossas virtudes, iluminar nossas chagas e achar os remédios para a cura, nos fazendo melhores, dando um salto quântico em nossa evolução individual, colaborando a plantar o sonho de um mundo novo, que mereça ser experimentado, vivenciado, com a graça e a alegria que corresponde ao milagre de viver.


📢 Conteúdos no Blog 👇
.............................................................................................
Para enviar opiniões, perguntas, críticas, sugestões ou qualquier outra colaboração dispomos de uma vía direta para você se comunicar. Na coluna lateral da direita tem um formulário de contato vía e-mail. Seja sempre bem-vind@.

Gratidão por visitar o blog.
.............................................................................................

  • Share: